Cronologia
1956

19 de Janeiro
Oliveira Salazar refere-se ao movimento de integração europeia no discurso proferido na sede da União Nacional.

26 de Fevereiro
Marcelo Caetano, ministro da Presidência, parte para Paris, para representar Portugal na reunião do Conselho de Ministros da OECE.  

27 de Fevereiro
Portugal participa em Washington, nas conversações para estabelecer uma Agência Atómica Internacional.  

3 de Maio
O embaixador dos Estados Unidos da América em Portugal, James C. H. Bonbright, entrega à Junta de Energia Nuclear uma biblioteca especializada, preparada e escolhida pela Comissão de Energia Atómica Americana, de acordo com o plano «Átomos para a Paz» proposto pelo presidente Eisenhower.  

29 de Maio
29 e 30. Conferência de Veneza. Adopção do relatório Spaak.  

26 de Junho.
Conferência de Bruxelas. Início das negociações dos tratados do Mercado Comum e do Euratom na sequência da aprovação do relatório Spaak na conferência de Veneza.  

17 de Julho
17 a 19 de Julho. A Grã-Bretanha apresenta uma proposta na OECE para a criação de uma Zona de Comércio Livre. O Conselho da OECE decide criar um grupo de trabalho para estudar a viabilidade da proposta britânica (Grupo de Trabalho N.º 17).

Primeira sessão da OECE em Paris na qual Marcelo Caetano assume a presidência da representação portuguesa.  

26 de Julho
O presidente Nasser declara a nacionalização da companhia do Suez.

20 de Setembro
Tem inicio em Nova Iorque a Conferência Internacional de Energia Atómica, que conta com a presença de 87 países, entre os quais Portugal.

3 de Outubro
O Reino Unido, que recusou participar nas negociações Spaak, propõe a criação de uma zona de comérico livre.  

26 de Novembro
Macmillan apresenta o plano britânico duma zona de trocas livres. Portugal apresenta a sua primeira declaração no Grupo de Trabalho nº 17 na qual afirma ser um país em vias de desenvolvimento.

4 de Dezembro
Reunião do Conselho de Ministros para o Comércio Externo. É apreciada a posição portuguesa perante os trabalhos em curso na OECE para a formação de uma zona europeia de comércio livre; é definida a constituição da Comissão Interministerial a que Correia de Oliveira fica a presidir.

15 de Dezembro
O deputado Carlos Mantero refere-se ao Mercado Único a propósito da discussão da Lei de Meios na Assembleia Nacional.  

 
1957

22 de Janeiro
O relatório final do Grupo de Trabalho nº 17 defende a viabilidade da criação de uma zona de comércio livre.

O embaixador britânico em Lisboa entrega no MNE um memorando do seu Governo esclarecendo os termos das negociações relativas à constituição da zona de comércio livre.

Relatório da Comissão Encarregada do Estudo dos Problemas relativos à Criação e Funcionamento da Zona de Comércio Livre (no âmbito da OECE).

12 de Fevereiro
12 e 13 de Fevereiro. Os membros da OECE iniciam negociações relativas à criação de uma zona europeia de comércio livre e constituem uma comissão de ministros sob a presidência do ministro do Comércio britânico, Reginald Maudling.  

16 de Fevereiro
16 a 20. A Rainha Isabel II visita oficialmente Portugal. Paulo Cunha e Selwyn Lloyd conversam sobre as negociações da Zona de Livre Câmbio.  

7 de Março
A Radiotelevisão Portuguesa inicia as emissões regulares de televisão em Portugal.

25 de Março
TRATADOS DE ROMA. Assinatura, em Roma, dos tratados que instituem a CEE e a EURATOM, pelos representantes da França, Alemanha, Itália e Estados do Benelux. 

7 de Maio
Paulo Cunha consulta o ministro francês dos Negócios Estrangeiros, Christian Pineau, sobre uma eventual associação de Portugal ao Mercado Comum.  

17 de Outubro
16 e 17 de Outubro. O Conselho da OECE declara a sua determinação em estabelecer uma zona de comércio livre abrangendo todos os membros, para entrar em vigor em paralelo com a CEE. É decidido constituir um comité intergovernamental representado por todos os membros da OECE para prosseguir as negociações: Comité Maudling.  

14 de Novembro
14 a 16 de Novembro. Primeira reunião do Comité Maudling.

Discussão da alínea sobre derrogações especiais para a redução de tarifas relativas a Portugal. É constituído um grupo de peritos para analisar o caso português e suas reivindicações: o Grupo Melander.

12 de Dezembro
O deputado Mário de Oliveira refere-se ao Tratado de Roma e à integração económica europeia na Assembleia Nacional: Portugal, não podendo esquecer a sua condição europeia, não pode também deixar de reconhecer que os seus interesses vivem para além do domínio continental.

20 de Dezembro
No final do Conselho da OECE realizado em Paris é anunciada a criação de uma «Agência Europeia para a Energia Nuclear».
O acordo é assinado por 16 países.
Por outro lado, 12 países membros da OECE constituem a primeira empresa industrial comum, a «Eurochimic», que se encarregará da exploração de uma fábrica de produção de plutónio, a funcionar na Bélgica.

 
1958

1 de Janeiro
Entrada em vigor dos Tratados de Roma, instituindo a CEE e o EURATOM. Cada Comunidade tem um Conselho e uma Comissão. A Assembleia e o Tribunal de Justiça são comuns às três Comunidades. Quanto aos órgãos consultivos, o Comité Económico e Social é comum às duas novas comunidades; a CECA mantém o seu próprio Comité Consultivo. As decisões são tomadas pelo Conselho a partir de propostas da Comissão.

10 de Janeiro
Walter Hallstein é nomeado Presidente da Comissão Europeia (Partido da União Democrata Cristã, Alemanha Ocidental), lugar que ocupa até 6 de Julho de 1967.

Fevereiro
Primeiro encontro do Grupo Melander (constituído por Melander, G. Bauer e J. E Cahan) e elaboração de um questionário enviado ao governo português.  

19 de Março
19 a 21 de Março. Primeira sessão do Parlamento Europeu, Robert Schuman é eleito presidente.  

19 de Abril
Humberto Delgado apresenta-se como candidato às eleições presidenciais.

25 de Abril
Cerimónia de comemoração do décimo aniversário da criação da OECE: Rui Teixeira Guerra, é o convidado da representação portuguesa

8 de Junho
Américo Tomás é eleito Presidente da República. No dia seguinte Humberto Delgado denuncia as irregularidades que envolveram o acto eleitoral.

14 de Agosto
Remodelação ministerial. Pedro Teotónio Pereira é o novo ministro da Presidência; Marcelo Matias, ministro dos Negócios Estrangeiros, Pinto Barbosa mantém-se nas Finanças, Ferreira Dias assume a pasta da Economia.  

14 de Novembro
13 e 14. Reunião do Comité Maudling. Interrupção das negociações sobre a zona de comércio livre de todos os membros da OECE. O governo francês declara a impossibilidade de realizar uma zona europeia de comércio livre (entre os Seis e os outros membros da OECE) sem uma tarifa aduaneira comum e na ausência de harmonização em matéria económica e social.

20 de Novembro
Os Sete (Inglaterra, Dinamarca, Noruega, Suécia, Áustria, Suíça e Portugal) preparam em Estocolmo a constituição de uma Zona Europeia de Comércio Livre (EFTA).

23 de Novembro
Memorando português, assinado por Rui Teixeira Guerra, dirigido aos Seis, mostrando a preocupação do Governo relativamente à suspensão das negociações e solicitando a extensão aos restantes Paises da OECE das medidas previstas pela CEE para 1 de Janeiro de 1959.

1 de Dezembro
1 e 2. Reunião em Genebra entre representantes do Reino Unido, Suíça, Suécia, Noruega, Áustria Dinamarca e Portugal. Os Sete declaram a sua intenção em prosseguir os esforços para o estabelecimento de uma associação multilateral OECE/CEE.

15 de Dezembro
Reuniões do Conselho da NATO, da OECE, do Conselho da Europa e da União da Europa Ocidental em Paris. A oposição Grã Bretanha - França sobre a Zona de Comércio Livre torna-se irreversível. Fracasso do projecto da grande zona de comércio livre.  

 
1959

6 de Janeiro
Entrada em vigor do Acordo Monetario Europeu (AME). Bélgica, França, Alemanha, Italia, Holanda e Reino Unido anunciam a convertibilidade externa das suas moedas.

O presidente do Banco de Portugal, Rafael Duque, profere uma palestra subordinada ao tema o «Acordo Monetário Europeu», perante os microfones da Emissora Nacional.

7 de Janeiro
Portugal anuncia a convertibilidade externa do escudo.

14 de Fevereiro
Inauguração da exposição «Ao Serviço da Exportação» na FIL.

11 de Março
Revolta da Sé, conspiração revolucionária militar e civil realizada na noite de 11 para 12 e que a PIDE consegue desmantelar.

8 de Junho
A Grécia apresenta um pedido de associação à CEE.

13 de Junho
Saltsjobaden, perto de Estocolmo, reunião dos representantes governamentais e peritos dos Sete (Áustria, Dinamarca, Noruega, Portugal, Reino Unido, Suécia e Suíça); decidem propor aos governos respectivos, a criação duma Associação de Comércio Livre.

20 de Julho
A Espanha torna-se membro de pleno direito da OECE.

21 de Julho
21 e 22 de Julho. Reunião de representantes dos Sete (Grã-Bretanha, Suécia, Dinamarca, Noruega, Suíça, Áustria e Portugal) em Estocolmo, Chegam a acordo quanto à criação de uma zona de comércio livre entre si, dada a suspensão 'sine die' das negociações com os países membros da CEE.

30 de Julho
Apresentação da candidatura portuguesa ao FMI e ao BIRD.

19 e 20 de Novembro 
Estocolmo. É aprovada a Convenção que constitui a EFTA/ AECL - Associação Europeia de Comércio Livre entre sete países europeus: Áustria, Dinamarca, Inglaterra, Suécia, Noruega, Portugal e Suiça. Entrará em vigor em 15 de Abril de 1960.

Correia de Oliveira representa do Governo português na reunião de Estocolmo.

30 de Dezembro
Em cerimónia realizada em Lisboa, Portugal formaliza a sua adesão ao Tratado que institui a EFTA/AECL.

 
1960

4 de Janeiro
Assinatura da Convenção que institui a EFTA, pelos sete governos dos países membros.

Portugal beneficia de um regime aduaneiro particular que fica consignado no Anexo G ao Tratado.

12 de Janeiro
12 e 13 de Janeiro. Conferência económica especial de Paris reúne representantes dos Governos de 13 países - Portugal, Estados Unidos, Inglaterra, Canadá, França, Bélgica, Dinamarca, Alemanha Federal, Grécia, Itália, Holanda, Suécia e Suiça. Adopta resoluções que ampliam a criação dum grupo de auxílio ao desenvolvimento e dum Comité de questões comerciais encarregados de fazer um relatório sobre a reorganização da OECE.

10 de Fevereiro
Conferência de imprensa do ministro da Economia. Ferreira Dias declara considerar a assinatura do Acordo de Estocolmo o facto dominante da economia portuguesa no ano de 1959.

13 de Abril
Conclusão do Parecer da Câmara Corporativa sobre a Convenção da EFTA, sendo seu relator Francisco Pereira de Moura .

22 de Abril
Debate da proposta de lei relativa à Convenção Europeia de Comércio Livre na Assembleia Nacional .

16 de Maio
16 de Maio a 4 de Junho. 16ª sessão, em Genebra, do GATT.

Portugal e Espanha anunciam formalmente o propósito de aderir ao GATT em comunicação apresentada na sessão plenária de 28 de Maio.

19 de Maio
19 e 20 de Maio. Primeira reunião do Conselho da EFTA, à escala ministerial, em Lisboa. Os trabalhos decorreram no Palácio Foz, tendo como principais pontos em agenda o aprofundamento da cooperação económica entre os países membros e as relações comerciais com os membros do Mercado Comum.
Oliveira Salazar oferece um almoço aos participantes da reunião da EFTA e discursa.

7 de Novembro
7 a 9 de Novembro. Londres. Conferência Política e Económica dos Sete membros da EFTA, promovida pelo Conselho Britânico do Movimento Europeu, durante a qual foi criado o Comité Permanente dos Sete.

A participação portuguesa na Conferência da EFTA, chefiada por Correia de Oliveira , incluiu uma delegação da Associação Comercial de Lisboa, chefiada pelo seu presidente, Bernardo Mendes de Almeida, Conde de Caria.

9 de Novembro
John Kennedy vence as eleições presidênciais nos EUA.

24 de Novembro
O Conselho da Europa discute a fusão dos três executivos da Comunidade europeia: CECA, CEE, EURATOM.

Constituição do Grupo Económico Privado da EFTA, por representantes da indústria e comércio e chefiado pelo presidente da Associação Comercial Portuguesa – Câmara de Comércio.

13 de Dezembro
13 e 14 de Dezembro. Reunião, em Paris, dos países da OECE que culmina com a assinatura da convenção que criou a Organização Económica de Cooperação e Desenvolvimento (OCDE). O texto é subscrito pelos representantes dos 18 estados membros e dos dois países associados (Estados Unidos e Canadá).

15 de Dezembro
A Assembleia Geral das Nações Unidas aprova, por larga maioria, três resoluções condenando a política colonial portuguesa.

 
<< Início < Anterior | 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 | Seguinte > Final >>

Resultados 11 - 15 de 62
Apoios: