CARLOS, Adelino Hermitério da Palma PDF Imprimir e-mail

Nasceu em Faro a 3 de Março de 1905. Matriculou-se na Faculdade de Direito de Lisboa tendo criado, em 1923, a Liga da Mocidade Republicana. Licenciou-se em 1926 e no ano seguinte iniciou uma longa carreira ligada à advocacia, representando figuras ligadas à revolta de 7 de Fevereiro de 1927, como o General Sousa Dias e o coronel Freiria. Distinguiu-se na defesa de vários nomes ligados à oposição ao Estado Novo, de que se destacam Norton de Matos, Bento de Jesus Caraça, Azevedo Gomes, João Soares ou Vasco da Gama Fernandes.

Ainda enquanto advogado, participou no processo sobre a validade do testamento de Calouste Gulbenkian e no processo da herança de Sommer.

Doutorou-se em Ciências Histórico Jurídicas pela Faculdade de Direito de Lisboa em 1934 mas o Estado Novo não permitiu que exercesse a actividade docente, exonerando-o do lugar que ocupava no Instituto de Criminologia.

Foi mandatário da candidatura do General Norton de Matos à Presidência da República nas eleições de 1949.

Eleito bastonário da ordem dos advogados, em 1956, exerceu o cargo durante dois mandatos, até 1956. No início da década de 50, a Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa admitiu-o como professor convidado, tendo integrado a respectiva direcção entre 1965 e 1970.

Foi convidado pelo General Spínola a chefiar o primeiro governo provisório do pós-25 de Abril, tendo pedido a demissão 56 dias depois. Pertenceu ao Conselho Consultivo do PRD e presidiu à Comissão de Honra da candidatura de Ramalho Eanes à Presidência da República.

 
Apoios: