1972-12-15 PDF Imprimir e-mail
Intervenção do deputado Alberto Alarcão na Assembleia Nacional sobre a posição de Portugal relativamente ao ultramar e à integração europeia em 14 de Dezembro de 1972.

 

Encontra-se felizmente ultrapassada aquela querela que em tempos dividiu portugueses da metrópole e poderia ter ajudado mais interesses alheios que os próprios nacionais; a opção entre o ultramar e a Europa. Opção que jamais teve razão de existir e que só o total alheamento ou o completo desconhecimento das mais elementares realidades da vida económica nacional e internacional pode acaso ter justificado. (…) Jamais esteve ausente, portanto, do espírito dos nossos negociadores a possibilidade de um acordo conjunto entre a EFTA e o Mercado Comum, admitindo-se, aliás, a ideia de que seria tanto mais fácil e vantajoso quanto maiores fossem a solidariedade e a Força dos Estados fundadores da Associação Europeia de Comércio Livre (Inglaterra, Dinamarca, Suécia, Norouega, Áustria, Suíça e Portugal) e dos que mais tarde se lhe associaram (Finlândia e Islândia).

Diário das Sessões da Assembleia Nacional e da Câmara Corporativa, N.º 209, de 15 de Dezembro de 1972, pp. 4141-4143.

 

1972_Sessao 15.12.1972.pdf 1972_Sessao 15.12.1972.pdf 2.03 Mb

 
Apoios: