SILVA, Aníbal António Cavaco PDF Imprimir e-mail

Nasceu em Boliqueime a 15 de Julho de 1939. Licenciou-se em Finanças pelo Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras (ISCEF) em 1964 e, depois de cumprir serviço militar em Moçambique, iniciou a carreira universitária como professor do ISCEF. Doutorou-se na Universidade de York, Reino Unido, em 1973. Em 1974 regressou ao ISCEF, tendo também iniciado a actividade docente na Universidade Católica, em 1975.

Em 1979, ingressou no Gabinete de Estudos do Banco de Portugal, de que foi director. Em 1979, seria co-fundador da Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa.

Aderiu ao PPD ainda em 1974. Foi ministro das Finanças do VI Governo Constitucional, suportado pela Aliança Democrática e liderado por Sá Carneiro, cargo que abandonou em 1980, após a morte do primeiro-ministro.

Em 1985 assumiu a liderança do PSD, no Congresso da Figueira da Foz , retirando o apoio do partido ao Governo do Bloco Central, formado em coligação com o PS, forçando à convocação de novas eleições legislativas. Vencidas as eleições sem maioria absoluta, o PSD formou então o X Governo Constitucional, sob sua liderança. Este Governo acabaria por ser dissolvido em sequência da moção de censura apresentada pelo PRD na Assembleia da República, antecipando a convocação de novas eleições legislativas para 1987, novamente vencidas pelo PSD, e já com maioria absoluta.

A chegada ao poder de Cavaco Silva coincidiu com os primeiros anos de adesão de Portugal à CEE, marcados por um enorme afluxo de fundos comunitários com os quais se pretendia modernizar economia portuguesa e as suas infra-estruturas.

As eleições legislativas de 1991 foram novamente dominadas pelo PSD, levando Cavaco Silva a formar novo Governo. Este executivo ficou marcado pela ratificação do Tratado de Maastricht e pela adesão do escudo ao Mecanismo das Taxas de Câmbio do Sistema Monetário Europeu. No primeiro semestre de 1992, o Governo assumiu, pela primeira vez, a presidência rotativa do Conselho de Ministros Europeu. Em 1995, Cavaco Silva anunciou a sua intenção abandonar a liderança do PSD eleições legislativas seguintes.

É actualmente Presidente da República, eleito em Janeiro de 2006.

 
Apoios: