ZENHA, Francisco Salgado PDF Imprimir e-mail

Nasceu em Braga a 2 de Maio de 1923 e licenciou-se Direito na Universidade de Coimbra. Iniciou a sua actividade política na oposição ao Estado Novo em 1940, tendo aderido ao Partido Comunista.

Em 1944 foi eleito presidente da Associação Académica de Coimbra (AAC), demitida pouco depois em sequência da recusa ao convite, dirigido pelo reitor, para que os estudantes se deslocassem a Lisboa em manifestação de agradecimento a Salazar pela neutralidade portuguesa durante II Guerra Mundial.

Presidiu à organização da Federação das Juventudes Comunistas de Coimbra e esteve na origem do MUD Juvenil, criado em 1946. Foi preso pela PIDE em 1947 e novamente 1949, sendo, desta segunda vez, julgado, condenado e só libertado definitivamente em 1958. Afastou-se depois do PCP, integrando a Resistência Republicana e Socialista, fundada por Mário Soares em 1955. Envolveu-se na criação da Frente Patriótica de Libertação Nacional e destacou-se na defesa de alguns presos políticos. Seria novamente preso pela PIDE em 1962.

Candidato a deputado nas eleições de 1969, pelas listas da CEUD, integrou o núcleo de fundadores do PS que reuniu em Bad Munstereifel, na Alemanha, em 1973.

Com a queda do Estado Novo integrou o I Governo Provisório, pela pasta da Justiça, permanecendo no lugar nos Governos liderados por Vasco Gonçalves até Agosto de 1975. Foi responsável pela revisão da Concordata entre Portugal e a Santa Sé, assinada em 1975 e manifestou-se contra a unicidade sindical.

Entrou em conflito com Mário Soares, que se opôs ao apoio do Partido Socialista à reeleição de Ramalho Eanes, durante as eleições presidenciais de 1980. Este desentendimento acentuou-se nas eleições presidenciais de 1986, quando Zenha optou por se candidatar com o apoio do PRD e do PCP, não conseguindo, contudo, passar à segunda volta.

Morreu a 1 de Novembro de 1993.

 
Apoios: