1950 PDF Imprimir e-mail

23 de Janeiro
Os ministros dos Negócios Estrangeiros dos cinco países da Europa Ocidental, reunem-se em Paris a fim de discutir o projecto de União Económica e Monetária Europeia.

22 de Fevereiro
Paul Hoffman, director geral da Administração de Cooperação Económica, declara aos jornalistas que Portugal irá receber 23 500 000 dólares pelo Plano Marshall, sendo 1 930 000 para equipamento industrial e mineiro.  

24 de Abril
Chega a Lisboa o primeiro carregamento de trigo de cerca de 3 mil toneladas de trigo, tractores, automóveis ligeiros, incluindo demais carga, proporcionado a Portugal no âmbito do plano Marshall.  

28 de Abril
Chega a Portugal o segundo carregamento de bens e material Marshall, entre os quais 10 000 toneladas de trigo, completando a quantidade de 15 000 toneladas de trigo no valor de 1 035 000 dólares que Portugal tinha sido autorizado a adquirir ao abrigo da ajuda americana.  

9 de Maio
Paris. Robert Schuman, ministro dos Negócios Estrangeiros francês, profere um discurso 'inspirado por Jean Monnet' em que propõe colocar em comum os recursos de carvão e de aço entre a França e a Alemanha, através da criação de uma organização aberta aos outros países da Europa. A criação duma Comunidade Europeia do Carvão e do Aço (CECA) entre a Franca e a Alemanha, e outros países interessados. A 2 de Junho a Grã-Bretanha recusa juntar-se ao projecto.  

25 de Junho
Início da guerra da Coreia.  

30 de Junho
É publicado na imprensa uma primeira nota, elaborada pela CTCEE, divulgando os montantes e fazendo o balanço do primeiro ano de utilização da ajuda Marshall a Portugal. As notícias relativas à distribuição e aplicação dos financiamentos atribuídos a Portugal ao abrigo do Plano Marshall foram divulgadas amiúde e detalhadamente pelos meios de comunicação, muitas vezes a partir de notas oficiais da Presidência do Conselho ou de informação prestadas pela embaixada dos EUA e pela missão da ECA em Portugal.  

10 de Julho
Chegam a Portugal cerca de sessenta estudantes da Universidade do Vermont com o objectivo de estudar a forma como opera o Plano Marshall nos países nele participantes.  

2 de Agosto
Remodelação governamental. São nomeados: Águedo de Oliveira, ministro das Finanças; Ulisses Cortês, ministro da Economia; Paulo Cunha, ministro dos Negócios Estrangeiros. É criado o Ministério da Presidência para o qual é nomeado João Pinto da Costa Leite (Lumbrales).

3 de Agosto
A Comissão Técnica de Cooperação Económica Europeia (CTCEE) e o Fundo de Fomento Nacional passam para a dependência do Presidente do Conselho.  

12 de Agosto
Winston Churchill propõe, no Conselho da Europa, a criação de um Exército europeu.  

19 de Setembro
Os 18 países participantes da OECE assinam em Paris um acordo que institui a União Europeia de Pagamentos (UEP), destinada a multeralizar o sistema de pagamentos intraeuropeus.

O Gabinete do Ministro da Presidência faz publicar a seguinte nota: Assinou-se em Paris o acordo para a União Europeia de Pagamentos de que Portugal é associado como participante na Organização de Cooperação Económica. Enaltece-se a importância daquele acto, porque além de constituir prova bastante significativa do espírito de cooperação que anima os países da Europa Ocidental - cooperação aliás que o nosso País tem preconizado e de que tem dado insofismáveis provas -, a União vem facilitar enormemente as liquidações monetárias intra-europeias e concorrer, concomitantemente, para a intensificação das permutas.  

7 de Outubro
Paris. René Pléven propõe a criação duma Comunidade Europeia de Defesa (CED).

5 de Novembro
A Emissora Nacional inicia a transmissão de uma série de programas de natureza musical através da qual procura dar a conhecer aos vários países da Europa e da América a música de cada um deles e os progressos feitos em matéria de recuperação económica. Uma das séries mais divulgada, e de carácter mais popular, chamada «Eis a Europa», é transmitida semanalmente sendo os programas dedicados a cada um dos países da Europa. A adaptação dos programas a Portugal era assegurada por Fernando Pessa. 

 
Apoios: