1962 PDF Imprimir e-mail

14 de Janeiro
Adopção pelo Conselho de Ministros da Comunidade Económica Europeia dos primeiros regulamentos relativos à Política Agrícola Comum (PAC), instituída com a finalidade de estabelecer um mercado único dos produtos agrícolas e de promover a solidariedade financeira através do Fundo Europeu de Orientação e Garantia Agrícola (FEOGA).

9 de Fevereiro
A Espanha pede a associação à CEE.

9 de Março
Tem início em Coimbra, apesar de proibido pelas autoridades, o I Encontro Nacional de Estudantes.

É fundado o Secretáriado Nacional dos Estudantes Portugueses (SNEP).

14 e 19 de Março
Referências aos efeitos da cooperação económica no Parecer da Comissão encarregada de apreciar as contas públicas e no debate sobre as contas gerais do Estado na Assembleia Nacional .

24 de Março
Início da crise académica em Lisboa com a proibição do Dia do Estudante. Perante as greves e manifestações de estudantes do ensino superior a polícia de choque invade a Universidade de Lisboa.

6 de Abril
Portugal assina em Genebra o protocolo de adesão ao Acordo Geral de Tarifas e Comércio (GATT).

8 de Abril
Portugal vai pedir em breve a sua admissão na Comunidade Económica Europeia – declara o ministro de Estado de Portugal, Correia de Oliveira, em entrevista concedida em Paris ao jornal New York Herald Tribune.

17 de Abril
Paris. Rompem-se as negociações sobre o projecto de união política dos Seis estados europeus – Plano Fouchet.

19 de Abril
Telegrama para embaixada de Portugal em Bruxelas sobre a necessidade de se formalizar em breve o pedido de abertura de negociações com a Comunidade.

Maio
Agravamento da crise estudantil em Coimbra e em Lisboa. A polícia reprime com violência os protestos dos estudantes e as autoridades assumem poderes especiais de punição dos dirigentes associativos. A crise alastra a outros sectores da sociedade.

Seminário Europeu sobre a «Organização e Desenvolvimento Comunitários», cujos trabalhos decorreram durante oito dias no Estoril, com a presença de cerca de uma centena de delegados nacionais e estrangeiros.

2 de Maio
A Noruega solicita a abertura do processo negocial com vista à adesão à CEE.

14 de Maio
Missão Portuguesa junto das Comunidades Europeias São criadas, por despacho ministerial, as delegações de Portugal junto do GATT, da CEE, da CECA e da EURATOM.

18 de Maio
Oliveira Salazar solicita por carta entregue pelo embaixador Calvet de Magalhães ao Presidente da CEE, a abertura de negociações entre Portugal e a Comunidade com o fim de definir os termos da colaboração que o Governo português queria ver estabelecida com os países do Mercado Comum.

5 de Junho
Sessão do Conselho de Ministros em Bruxelas, sob a presidência de Georges Corse no decurso da qual se focou a questão da adesão de Portugal.

Artigo do Diário de Notícias referindo o contexto do pedido de negociações com a CEE.

21 de Junho
21 e 22 de Junho. Reunião da Comissão consultiva da EFTA em Copenhaga.

Correia de Oliveira num discurso emitido pela rádio e pela televisão, pronunciado no dia do regresso da reunião da EFTA em Copenhaga, declara a necessidade de procurar um acordo com a Europa que nos permita realizar o Portugal de Sempre.

26 de Setembro
Bruxelas. Anuncia-se que o Conselho Ministerial do Mercado Comum Europeu examinará, no primeiro trimeste de 1963, as candidaturas de Portugal e Espanha à associação com a Comunidade Económica Europeia.

20 de Dezembro
«O Convite da Comunidade Económica Europeia» in Diário de Notícias de 21 de Dezembro de 1962: Como é do conhecimento público, o Governo português em carta de 18 de Maio, comunicou ao presidente do Conselho da Comunidade Económica Europeia o desejo de abertura de negociações, com vista ao encontro dos termos da colaboração que melhor assegure a realização dos interesses de Portugal e dos países membros daquela comunidade. Da harmonia com o tratamento dado a todos os países membros da Associação Europeia de Comércio Livre (EFTA) o presidente do Conselho de Ministros da Comunidade Económica Europeia, ministro italiano, sr. E. Colombo, em carta dirigida ao ministro dos Estado e ontem recebida, convidou o Governo português a apresentar o seu ponto de vista sobre o sistema de relações a estabelecer eventualmente entre Portugal e aquela Comunidade. Em consequência, no próximo dia 11 de Fevereiro, realizar-se-á em Bruxelas, perante o conselho da Comunidade Económica Europeia, a audição do ministro representante do Governo português.

 
Apoios: