1967 PDF Imprimir e-mail

2 de Março
2 e 3 de Março. Estocolmo. Reunião ministerial da EFTA, presidida pelo primeiro-ministro sueco Tage Erlander.

O ministro da economia Correia de Oliveira afirma que Portugal aumentou em 190 % as suas exportações para os países membros da EFTA no período entre 1959 e 1966. As exportações para os restantes países estrangeiros registaram um aumento de 95 %.

A dificuldade está em assegurar a presença de Portugal no Mercado Europeu sem, ao mesmo tempo impedir a integração económica dos territórios nacionais, declara Correia de Oliveira numa entrevista concedida ao enviado especial da ANI a Estocolmo.

11 de Maio
Os governos do Reino Unido e da Irlanda (10 de Maio) e da Dinamarca (21 de Maio) apresentam novo pedido de adesão à CEE.

29 de Maio
29 e 30 de Maio. Cimeira de Roma.

30 de Maio
Bruxelas. Os dirigentes do Mercado Comum dão instruções aos seus ministros dos Negócios Estrangeiros para examinarem o pedido da Grã-Bretanha de adesão à Comunidade de Seis Nações numa reunião que se realizará em Bruxelas no dia 6 de Junho.

Junho
É encerrado o Canal do Suez. 1 de Junho Jean Rey (Partido Reformista Liberal da Bélgica, Bélgica), sucedendo a Walther Hallstein, assume o cargo de Presidente da Comissão Europeia, lugar que ocupou até 30 de Junho de 1970.

30 de Junho
Genebra. Representando quatro quintos do comércio mundial, 46 Nações (entre as quais Portugal ) assinam um tratado que prevê a maior redução de tarifas da história, criando importante estímulo ao comércio internacional. A Comissão assina, em nome da Comunidade, o acto final das negociações multilaterais do GATT (Kennedy Round).

1 de Julho
Entrada em vigor do tratado de fusão dos executivos das três Comunidades. A Comissão, o Conselho, a Assembleia e o Tribunal de Justiça passam a ser instituições comuns.

25 de Julho
A Noruega apresenta um novo pedido de adesão à Comunidade.

26 de Julho
A Suécia pede a abertura de negociações procurando uma participação na Comunidade compatível com o seu estatuto de neutralidade.

5 de Setembro
Correia de Oliveira entrevistado em Bruxelas: A EFTA contribui para o aumento da produtividade portuguesa e sobretudo para uma nova mentalidade dos produtores.

29 de Setembro
Parecer favorável da Comissão relativamente à adesão do Reino Unido, da Irlanda, da Dinamarca e da Noruega.

28 de Outubro
O ministro Correia de Oliveira declara em Lausane que A hipótese de admissão imediata ao Tratado de Roma está claramente excluída, interessando ao País: Evitar que a participação portuguesa no Mercado Europeu prejudique a evolução do processo de integração económica nacional. Evitar que no mercado da EFTA resulte da adesão de alguns dos seus membros à CEE o desaparacimento total e brusco das condições favoráveis conseguidas nesse mercado à entrada de produtos portugueses. Trabalhar por uma aproximação progressiva e mais estreita entre Portugal e os actuais membros da CEE. Obter, quanto a barreiras pautais, um tratamento adequado ao grau de desenvolvimento económico e social do país.

27 de Novembro
O presidente De Gaulle veta pela segunda vez a admissão da Inglaterra no Mercado Comum.

 
Apoios: