1969 PDF Imprimir e-mail

4 de Fevereiro
O Governo português afirma num memorando enviado à CEE o desejo de participar, desde o início, em negociações, de carácter comercial e de cooperação tecnológica e científica.

14 de Fevereiro
Reunião da União Europeia Ocidental em Londres sem representação francesa. A França ameaça abandonar a UEO.

27 de Março Remodelação ministerial. O ministro das Finanças passa a acumular a pasta da Economia e é nomeado um novo ministro das Comunicações. Rogério Martins é nomeado ministro da Indústria.

17 de Abril
Durante a inauguração de um novo edifício na Cidade Universitária em Coimbra, presidida pelo Chefe de Estado, o presidente da Associação Académica de Coimbra é impedido de falar. Ocorrem então graves incidentes entre os estudantes e as autoridades que levarão, no dia seguinte, à prisão de Alberto Martins, representante dos estudantes.

25 de Abril
Colóquio Ao Serviço da Exportação.

27 de Abril
Referendo em França. De Gaulle pede a demissão.

9 de Maio
Reunião ministerial da EFTA em Genebra. O ministro Dias Rosas, representante de Portugal, apresenta a posição portuguesa relativamente a alguns pontos, nomeadamente o comércio internacional de têxteis.

15 de Junho
Georges Pompidou vence as eleições presidenciais francesas.

26 de Junho
Nova condenação da política colonial portuguesa pelo Comité de Descolonização da ONU.

2 de Julho
Portugal apresenta um aumento de 73 % no comércio com os demais países da EFTA

23 de Julho
O Conselho retoma o exame dos pedidos de adesão da Reino Unido, da Irlanda, da Dinamarca e da Noruega.

Setembro
A ASP e vários independentes decidem constituir, em Lisboa, Porto e Braga, a Comissão Eleitoral de Unidade Democrática (CEUD) para promover a apresentação de listas próprias às eleições. Como resposta, o Partido Comunista, socialistas independentes e católicos progressistas constituem a Comissão Democrática Eleitoral (CDE).

21 de Outubro
Willy Brandt é eleito Chanceler da RFA

26 de Outubro
Eleições legislativas. Vitória da União Nacional. A Oposição denuncia as circunstâncias em que decorreram a campanha e o próprio acto eleitoral e, em bloco, contesta os resultados oficialmente apurados.

1 de Dezembro
1 e 2 de Dezembro. Cimeira de Haia. Relançamento da construção europeia a partir da adopção do denominado “tríptico de Haia”: conclusão / acabamento (recursos próprios), aprofundamento (lançamento da união económica e monetária) e alargamento (abertura às negociações de adesão). Os chefes de Estado e de Governo concordam, por um lado, quanto à adopção de um regulamento definitivo relativo ao financiamento da PAC, a atribuição de recursos próprios da Comissão e o dos poderes orçamentais do Parlamento; por outro, concordam sobre a abertura das negociações com os quatro países candidatos, o lançamento da União política e monetária e o lançamento de um sistema de cooperação em matéria de política externa.

 
Apoios: