1974 PDF Imprimir e-mail

9 de Janeiro.
Os países produtores de petróleo anunciam um congelamento de preços.

23 de Fevereiro.
O general António de Spínola, recém empossado Vice-Chefe do Estado-Maior general das Forças Armadas, publica o livro Portugal e o Futuro.

5 de Março.
Aprovação do primeiro documento programático do MFA: “O Movimento, as Forças Armadas e a Nação”.

16 de Março.
Levantamento das tropas do Regimento de Infantaria 5, das Caldas da Rainha, que marcham sobre Lisboa. Tropas fiéis ao Governo travam a tentativa de revolta à entrada da capital.  

1 de Abril.
O governo britânico solicita a revisão da adesão do Reino Unido às Comunidades.

25 de Abril.
O MFA leva a cabo um movimento militar que põe termo ao Estado Novo. É constituída uma Junta de Salvação Nacional (JSN), presidida pelo general António de Spínola , que assume as atribuições dos órgãos fundamentais do Estado, entretanto destituídos.

1 de Maio.
É celebrado o dia do trabalhador, realizando-se as primeiras manifestações livres de há cinquenta anos.

6 de Maio.
Sá Carneiro, Pinto Balsemão e Magalhães Mota, fundam o Partido Popular Decmorático (PPD).

15 de Maio.
António de Spínola é investido Presidente da República. Nomeação do I Governo Provisório, chefiado por Adelino da Palma Carlos . Mário Soares é nomeado ministro dos Negócios Estrangeiros, e José da Silva Lopes , secretário de Estado das Finanças.  

21 de Junho.
Bruxelas, Parlamentares Socialistas da Comunidade Económica Europeia afirmam que Portugal poderá ser membro em pleno do Mercado Comum dentro de 10 ou 12 anos.

1 de Julho.
A França assume a presidência do Conselho de Ministros do Mercado Comum Europeu. Giscard d´Estaing espera que os países da CEE caminhem para a unificação política.  

17 de Julho.
Toma posse o II Governo Provisório, chefiado por Vasco Gonçalves .

19 de Julho.
Constituição do Centro Democrático Social (CDS).

27 de Julho.
É reconhecido o direito à auto-determinação das colónias portuguesas.

6 de Agosto.
Visita a Portugal de uma delegação do Conselho da Europa, que vem discutir com as autoridades portuguesas a entrada do País para o CE.

27 de Agosto.
Nacionalização do Banco de Portugal, Banco de Angola e Banco Nacional Ultramarino.

12 de Setembro.
Reintegração de Portugal na UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura. Portugal, que pertencera à organização entre 1965 e 1972, torna-se o seu 132.º membro.

30 de Setembro.
O general António de Spínola renuncia à Presidência da República. Sucede-lhe o general Costa Gomes , por decisão da JSN.

1 de Outubro.
Toma posse o III Governo Provisório chefiado por Vasco Gonçalves .

15 de Outubro.
Portugal reconhece a plena soberania da União Indiana sobre os territórios de Goa, Damão, Diu, Dadra e Nagar Aveli.

26 de Novembro.
Quarta reunião da Comissão Mista Portugal - CEE. A delegação portuguesa solicita uma melhoria dos aspectos comerciais do Acordo de 1972, e o alargamento do mesmo a outras áreas.  

9 de Dezembro.
9 e 10 de Dezembro. Cimeira de Paris. Os 9 chefes de Estado ou de Governo decidem reunir-se regularmente (pelo menos três vezes por ano) em Conselho Europeu, instituir o princípio da eleição directa da Assembleia europeia por sufrágio universal e implementar o Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).  

 
Apoios: